Print

ELO PRINCIPAL

Sindicalismo…

I

Os sindicatos tiveram um papel central e determinante na afirmação e consolidação dos regimes democráticos tendo sido, muitas vezes, a primeira sede em que os ideais democráticos se desenvolveram e, em muitas outras, o motor da expansão da democracia nas nossas sociedades.

A riqueza da história do movimento sindical, especialmente no que ao continente europeu diz respeito, é inquestionável e de uma profunda diversidade.

Os sindicatos foram-se desenvolvendo e ganhando poder, desafiando o poder económico e político; os sindicatos contribuíram para a edificação de uma cidadania social e, sobretudo na Europa para a construção de sistemas de proteção social fortes e de natureza universal; os sindicatos bateram-se intransigentemente por Sociedades mais Humanas, em que valores como o da Solidariedade, da Justiça Social, da Liberdade e da Democracia se pudessem consolidar.

No que mais diretamente reporta ao mundo do trabalho, assistimos, um pouco por toda a Europa, à utilização de modalidades de prestação de trabalho diversas, tais como: trabalho temporário, trabalho sazonal, teletrabalho, contratos de trabalho a termo e inclusivamente, não raras vezes, a falso trabalho independente.

Nos anos mais recentes temos assistido igualmente a uma segmentação e dualismo do mercado de trabalho, onde a precariedade e instabilidade laboral têm vindo a ganhar terreno, especialmente em grupos mais vulneráveis como os mais jovens, as mulheres e os trabalhadores mais velhos.

Temos assistido também, nomeadamente em Portugal, a processos de reestruturação empresariais e de deslocalizações de empresas, que se refletem nomeadamente no afastamento geográfico dos centros de poder face aos sindicatos, dificultando a intervenção destes.

São estes alguns dos fatores que contribuem para a reduzida taxa de sindicalização em muitos setores e empresas.

No nosso País, apesar de tudo, a sindicalização é relativamente elevada quando comparada com os restantes Países do Sul da Europa.

Os Sindicatos representam interesses específicos mas, no seu conjunto, assumem também, a defesa do interesse geral.

Ainda assim, o papel dos sindicatos na sociedade não tem sido imutável ao longo dos anos; nem poderia ser de outra forma. Os sindicatos têm hoje, como sempre tiveram, um lugar próprio no seio dos sistemas democráticos e a sua força advém-lhes não só da sua representatividade, como também da capacidade em se adaptarem às mudanças e em responderem aos novos desafios e expetativas dos trabalhadores e da sociedade em geral.

Os Sindicatos são as Organizações mais representativas da Sociedade Civil e são cada vez mais necessários para assegurar o progresso económico e que este caminhe lado a lado com o progresso social, promovendo o desenvolvimento sustentado.

(continua)

José Luís Pais

1º vice-presidente

da Direção

ELO COLETIVO

NEGOCIAÇÕES COM AS SEGURADORAS UNIDAS, ZURICH, FIDELIDADE, CARAVELA, EUROP ASSISTANCE e APROSE

A negociação no setor tem-se revelado, até para os Sindicatos, um desafio cada vez maior. Tendo passado a negociar com cada uma das empresas, de per si, resulta que o trabalho seja acrescido, sendo que se podem valorizar e realçar aspetos concretos e específicos de cada empresa.

Os Acordos de Empresa ou Acordos Coletivos de Trabalho específicos para cada Companhia de Seguros e/ou Grupo de Empresas, é a uma realidade cada vez mais atual e que tem estado bem presente no dia a dia dos sindicatos.

No mês de maio prosseguiram as negociações com as empresas com as quais os sindicatos da FEBASE já detinham processos em curso, nomeadamente: FIDELIDADE, ZURICH e APROSE, tendo sido também dado início às negociações na CARAVELA e na EUROP ASSISTANCE.

O processo negocial com a APROSE continua, sendo importante assegurar um novo CCT na atividade da mediação e da corretagem.

Na FIDELIDADE, entrou-se num novo capítulo, tendo sido feita pela empresa uma apresentação do modelo de carreiras que se encontra em fase de aplicação na mesma. Apesar de algumas reservas que ainda se nos suscitam, é um tema que acompanharemos e que merece maior cuidado de análise. Foram também discutidas outras cláusulas que tinham ficado pendentes de reformulação pelas partes, em resultado da discussão em reuniões anteriores.

Na EUROP ASSISTANCE e na CARAVELA realizaram-se as primeiras reuniões que visaram nomeadamente a calendarização das próximas reuniões, bem como fixação da forma como as mesmas irão decorrer, com estabelecimento das respetivas temáticas.

Também no mês de maio se realizou mais uma reunião com a ZURICH e a ZURICH VIDA.

TABELA SALARIAL 2018

Entretanto, e na sequência da publicação da nova tabela salarial para o ano de 2018 a aplicar à generalidade das Seguradoras, dado que houve empresas que não a subscreveram logo ab initio, os sindicatos da FEBASE trataram de suscitar processos de conciliação na DGERT, cujas primeiras reuniões estão agendadas já para o próximo mês de junho.

JURÍDICOS ONLINE

Nos termos do art.º 202º do Código do Trabalho, o empregador deve manter o registo dos tempos de trabalho, incluindo dos trabalhadores que estão isentos de horário de trabalho, em local acessível e por forma que permita a sua consulta imediata. O registo deve conter a indicação das horas de início e de termo do tempo de trabalho, bem como das interrupções ou intervalos que nele não se compreendam, por forma a permitir apurar o número de horas de trabalho prestadas por trabalhador, por dia e por semana, bem como as prestadas em situação referida na alínea b) do n.º 1 do artigo 257.º (prestação de trabalho em acréscimo ao período normal).

O empregador deve assegurar que o trabalhador que preste trabalho no exterior da empresa vise o registo imediatamente após o seu regresso à empresa, ou envie o mesmo devidamente visado, de modo que a empresa disponha do registo devidamente visado no prazo de 15 dias a contar da prestação.

O empregador deve manter o registo dos tempos de trabalho, bem como a declaração a que se refere o artigo 257.º (substituição da perda de retribuição por motivo de falta, por dia(s) de férias) e o acordo a que se refere a alínea f) do n.º 3 do artigo 226.º (Trabalho prestado para compensação de períodos de ausência ao trabalho, por iniciativa do trabalhador, com acordo do empregador), durante cinco anos.

Finalmente, há que referir que a violação do disposto neste artigo constitui contraordenação grave, sendo uma questão muitas vezes suscitada pela Autoridade para as Condições de Trabalho nas visitas inspetivas que efetua junto das empresas.

UMA AVENTURA NO OESTE

(Carlos Marques)

E não foi que a aventura aconteceu mesmo.

Ousado e envolvente, associados, associadas e familiares, partilharam um excelente dia de sábado.

Primeiro no Baleal e em Peniche. Surfando nas ondas ou viajando em bicicleta, uma e outra constituiu uma descoberta de novos sítios e novas formas de viajar no ambiente aquático.

De tarde, a aventura meteu cultura, conhecer mais profundamente a história e a riqueza de Óbidos, essa vila maravilhosa, explorar os seus recantos e ruas, que muitas vezes não são visitadas, mas também aventurarem-se nas muralhas numa visita e numa vista de 360 graus, descobrindo a Óbidos de uma forma só acessível aos mais ousados.

O Baleal e a vila de Óbidos esperam por nós em próxima aventura. Não falte!

CAMINHADA NO RIBATEJO E PASSEIO DE BARCO PELO RIO TEJO

O grupo de 36 pessoas reuniu-se cerca das 10H00 do dia 26 de maio, em Escaroupim, iniciando o passeio com uma visita ao museu local e ao rio onde se destacou a arte da pesca das populações das aldeias avieiras. De seguida, os participantes tiveram oportunidade de visitar uma casa avieira.

Perto das 11h00, foi altura de trocar a terra pela água, com o tão esperado passeio de barco. O dia estava perfeito, com sol e temperatura moderada.

Durante duas horas, o grupo observou muitas espécies de aves e admirou a beleza do rio Tejo, até desembarcar, perto das 13h00, na aldeia avieira da Palhota, para uma visita.

AO LONGO DA MARGEM

De regresso a terra firme, iniciou-se a caminhada, que passou por Reguengo e teve interrupção para almoço em Valada.

Repostas as forças, os participantes continuaram a caminhada ao longo do rio Tejo e dos belos campos agrícolas.

Depois de passar por Porto de Muje, o grupo atravessou a ponte Rainha Dona Amélia e percorreu a mata do Escaroupim, antes de terminar o percurso no cais.

DIA DA CRIANÇA STAS

(Patrícia Caixinha)

“Eles não sabem, nem sonham,

Que o sonho comanda a vida,

Que sempre que um homem sonha,

O mundo pula e avança,

Como bola colorida

Entre as mãos de uma criança”

Já dizia António Gedeão.

E foi sonhando e pulando que as crianças do STAS desfrutaram de uma manhã de pura brincadeira e folia.

Foi no passado dia 2 de junho, e no âmbito das comemorações do Dia da Criança que o STAS promoveu uma manhã com direito a SER CRIANÇA, mesmo para aqueles/as que já tinham alguma dificuldade em encontrar a sua criança interior.

A atividade totalmente gratuita, foi aberta aos filhos, netos e familiares dos sócios e sócias do STAS e decorreu no Ringue da Junta de Freguesia de Benfica.

A brincadeira era para as crianças, mas pais e mães encontraram-se no ringue para uma bem renhida batalha de almofadas. A vingança dos pequenos contra os graúdos…ou será que foi o contrário?

Para além da tão apetecida luta de almofadas, houve ainda insufláveis, circuito de carros, pinturas faciais, modelagem de balões e tudo com muita música à mistura.

Sem dúvida uma manhã bem passada, para miúdos e graúdos!

ELO CHAPAS

“ATLAS”, Companhia de Seguros – O centenário (1918-2018)


O Clube CHAPAS desafiou aqueles que foram colaboradores da seguradora ATLAS para no dia 18 de Maio revisitarem as memórias, histórias e, em especial, reencontrarem as Pessoas.

No dia do centenário foi possível reunir num almoço-convívio,em Lisboa, no Hotel Turim, na Avenida da Liberdade, um grupo de 66 trabalhadores da ATLAS. Alguns deslocaram-se, propositadamente, do norte e do sul do continente, mas igualmente dos Açores e de Angola.

Após o almoço-convívio, marcou-se encontro no átrio do edifício Fidelidade, na Rua Alexandre Herculano, onde já se encontravam outros colegas e convidados para a inauguração da exposição: Há cem anos nasceu a ATLAS.

Foi um desafio para a equipa do Clube CHAPAS, reconstituir a história da ATLAS pois esta nunca teve a história da sua atividade (1918-1979) contada num livro.

Portugal tinha a República como jovem realidade política (1910), tinha sido declarado o fim da I Guerra Mundial (1914-1918), o mercado de seguros tinha ramos poucos explorados e outros novos emergiam e eis que, neste contexto, surge em 18 de Maio de 1918 a Companhia de Seguros ATLAS.

Em 1918, A Companhia instalou a sua sede na Rua do Crucifixo nº 49 – 1º andar, em Lisboa. Ao longo da sua existência passou por várias moradas na cidade de Lisboa, sendo a Rua Andrade Corvo o seu último endereço.

As imagens de marca:

Um escudo em fundo vermelho com a inscrição “Companhia de Seguros” e ao centro a figura mitológica do titã Atlas que suporta sobre o seu ombro direito a esfera armilar com o nome “ATLAS”, inscrito na diagonal.

Um escudo de fundo vermelho com a inscrição “Seguros” e ao centro a figura mitológica do titã Atlas que sustenta sobre os seus ombros uma esfera armilar, linhas brancas e o nome “ATLAS” inscrito num fundo azul e na diagonal.

Um escudo de fundo azul com a inscrição “seguros” e ao centro a representação da esfera armilar encimada pela cruz de Cristo, que apresenta um fundo vermelho, linhas brancas e o nome “ATLAS” inscrito num fundo dourado e na diagonal.

A seguradora ATLAS desenvolveu a sua atividade até 1979 integrando, no ano seguinte, a Fidelidade Grupo Segurador.

No referido espaço expositivo foi possível percorrer a história desta Companhia, através de documentos, fotos e vários objetos, muitos dos quais oferecido pelos colaboradoras da ATLAS ao Clube CHAPAS, durante a fase de preparação das comemorações.

Porque as memórias são tão importantes como os objetos, já no auditório do edificio Fidelidade foi tempo para se reviverem alguns episódios da vida profissional, sendo notória a satisfação patente nos rostos de todos.

O evento evocativo do centenário terminou após a degustação de um excelente bolo, acompanhado de espumante e uma grande confraternização.

A história (dos seguros) não deverá ser um tema aborrecido, especialmente quando é centrada nas pessoas.

O Clube CHAPAS compremeteu-se desde 2011 a defender as memórias da actividade seguradora e reitera aqui tal compromisso.

Entretanto, acompanhe-nos na página de facebook: chapas clube chapas ou no site www.clubechapas.pt
ELO FEBASE
2º Workshop FORMA FEBASE
SINDICATOS CONTINUAM A APOSTAR NUMA COMUNICAÇÃO EFICAZ

O projeto FORMA FEBASE promoveu a segunda edição do Workshop sobre Técnicas de Comunicação nos dias 23 e 24 de maio destinado a dirigentes e às estruturas sindicais.

Após o sucesso da primeira ação de formação, foi com agrado que a equipa deste projeto recebeu o segundo grupo interessado em adquirir mais ferramentas para comunicar eficazmente, e potenciar as que já detém, com os/as seus/suas associados/as, em particular e com os/as trabalhadores/as em geral.

Estrategicamente, pela envolvência do espaço e pelo isolamento necessário à integração dos conteúdos programáticos, este segundo workshop decorreu em Ferreira do Zêzere, no Centro de Férias e Formação do SBSI.

Aproveitando a paisagem encantadora e a oportunidade de desfrutar de uma zona rural por excelência, foi com entusiasmo que os/as participantes passaram dois dias intensos de aprendizagem.

Os doze participantes sindicais presentes, abordaram o tema da comunicação através de exercícios e dinâmicas, sendo a partilha e a troca de experiências e vivências uma componente importante nesta temática.
A comunicação em público e para o público; a comunicação interna versus a comunicação externa; o enfrentar o público e uma audiência; a forma como escrevemos e informamos; aprender a fazer a nossa gestão do stress e das emoções e técnicas para controlar a nossa ansiedade, foram alguns dos conteúdos que animaram estes dois dias de trabalho.

O contacto, quer escrito quer presencial com os trabalhadores, e as diferentes técnicas para abordar e comunicar de uma forma eficaz a mensagem destes representantes sindicais foi o foco principal deste segundo workshop.

Adaptando as sugestões e comentários obtidos na primeira ação, e aliando-os às necessidades dos participantes presentes, foi com um verdadeiro sentido de missão cumprida que a equipa Forma FEBASE regressou a casa, onde já se encontra a preparar o próximo workshop.

Equipa FORMA FEBASE:
Patrícia Caixinha (STAS), Rute Almeida (SBSI), Nuno Carvalho (SBC), Margarida Cordeiro (SISEP), e Nuno Silva (SBN).
FOTO FEBASE 2018
ELO TURISMO

LOURDES - 6 DIAS VIAGEM

1 a 6 outubro 2018

(EM REGIME DE PENSÃO COMPLETA)


1º DIA
LISBOA / SALAMANCA (470 km)

2º DIASALAMANCA / VALLADOLID / SAN SEBASTIAN (450 km)

3º DIA – SAN SEBASTIAN / LOURDES (200 KM)

4º DIA LOURDES / ZARAGOZA (250 km)

5º DIA – ZARAGOZA / MADRID (330 km)

6º DIA – MADRID / LISBOA (630 km)

Preço por pessoa, base quarto duplo de acordo com número de participantes;

BASE 30 PAX ……………………………………………… 740,00 € (*)

Suplemento para estada em quarto individual ---190,00 €

(*) O pagamento pode ser feito em prestações mensais devendo estar liquidado na totalidade até à data da viagem

Os preços incluem:

- Viagem em luxuoso autopullman, durante todo do percurso;

- Estadia conforme programa, base quarto duplo no regime indicado, em hotéis categoria 3*/4*;

- Refeições de acordo com programa, com menus de grupo pré-determinados de acordo com a gastronomia local, com pratos fixos e bebidas incluídas;

- Seguro Viagens com inclusão de cancelamento e interrupção de viagem;

- Todas as visitas indicadas no programa e entradas;

- Condições gerais de acordo com nossa programação Europa;

- Assistência durante toda a viagem de delegado FLASH.

Excluindo: Todos os serviços não indicados, extras de caracter pessoal na viagem, hotéis e restaurantes.

AGENDA
01/05 - 1º MAIO UGT em Figueiró dos Vinhos
08/05 - Reunião da TSS da FEBASE: Sindicato Único
10/05 - Reunião de Negociação AE - FIDELIDADE
14/05 - Reunião de Negoicação AE - CARAVELA
15/05 - Ação de Sensibilização para Negociadores UGT
15/05 - Reunião Comissão de Mulheres - UGT
22/05 - Reunião Júri FOTO FEBASE
23/05 - Reunião de Negociação AE EUROP ASSISTANCE
23/05 - 2º Workshop FORMA FEBASE
24/05 - 2º Workshop FORMA FEBASE
24/05 - Reunião de Negociação AE - FIDELIDADE
25/05 - Reunião de Negociação AE - ZURICH e ZURICH VIDA
26/05 - Caminhada FEBASE no Ribatejo e passeio de Barco pelo rio Tejo
29/05 - Reunião de Negociação AE - SEGURADORAS UNIDAS
30/05 - Reunião do Secretariado Nacional UGT
30/05 - Reunião do Secretariado da FEBASE
30/05 - Reunião do CG da FEBASE



NOVOS ELOS

www.santasofia.pt

Rua Alves Torgo, nº 14

Tel.: 213 529 212 | 965 617 855 | 933 710 632

sadsantasofia@gmail.com

LeasePlan Portugal

Mob: +351 91 752 41 99
Tel: +351 800 20 42 98
joao.monteiro@leaseplan.com
Lagoas Park | Edifício 6
2740-244 Porto Salvo
www.leaseplan.pt

Facebook
Google Plus
Twitter
Ver este email no navegador
Recebeu este e-mail por ter uma ligação com a STAS - Sindicato dos Trabalhadores da Atividade Seguradora. Por favor reconfirme o seu interesse em continuar a receber os nossos e-mails. Se não desejar receber mais e-mails poderá remover a sua subscrição aqui.
Esta mensagem foi enviada para andre.amaral@ealive.pt by mail@stas.pt
, Lisboa, Lisboa , Portugal


Remover Subscrição de todas as listas de envio Remover Subscrição | Gerir Subscrição | Reencaminhar Email | Denunciar Abuso